Você sabia que a Xerox faz parte da história dos grandes sucessos de animações da Disney? Não? Então vamos lá! Neste artigo de hoje, a Print Supplies vai te trazer a nostalgia de filmes, como tudo começou e afinal, qual foi o papel importante da Xerox em toda essa trajetória.

Após o desastre financeiro que foi “A Bela Adormecida”, Walt Disney considerou seriamente fechar a divisão de animação. Menos da metade dos seus filmes de animação tinham sido sucessos financeiros.

Fora a “Dama e o Vagabundo”, outros e inclusive “Alice no Pais das Maravilhas” tiveram  retornos financeiros insatisfatórios. Mas no final dos anos 50, Disney adquiriu os direitos de “Os 101 Dálmatas” do inglês Dodie Smith’s e amou a historia, achava que tinha tudo a ver com sua linha de animação.

Mas ele tinha um problema, como animar 99 filhotes usando a técnica de pontos? Qual seria o custo? A possibilidade de outro desastre financeiro como a “Bela Adormecida” o assustava e impedia de ir adiante com a sonhada empreitada.

Mas foi o seu amigo Ub Iwerks, cocriador de Mickey Mouse com ele, que o convenceu e avançou com a ideia de trabalhar junto com a Xerox, para adaptar a tecnologia xerográfica a produção de animação. O equipamento desenvolvido pela Xerox a pedido de Disney permitia a impressão das imagens quadro a quadro, com as pequenas modificações feitas pelos desenhistas no subtrato antes da fusão, em alta velocidade e a um custo extraordinariamente menor que o processo anterior.

O sucesso do projeto foi tamanho que Disney recuou do fechamento do Depto de Desenhos, revitalizando-o e permitindo que as próximas gerações fossem aquinhoadas com verdadeiras obras de arte, com o Rei Leão, Pocahontas, A Bela e a Fera, e outras maravilhas.

Gostou deste artigo? Fique ligado em nosso blog que sempre estamos postando curiosidades para você. Até a próxima!

Share This